03/07/2022 às 03:16 Agronegócio

Drone na Agricultura

2
2min de leitura

As inovações tecnológicas têm provocado mudanças importantes no meio rural. Depois da industrialização clássica, com maquinário mais eficiente, o agro começou a usar os computadores e softwares como aliados. Agora, chegou a hora de dar mais um passo rumo ao futuro, e a grande aposta está nos drones agrícolas.

O uso de drones no campo é uma vertente de algo mais amplo – a agricultura de precisão, sistema de gestão que reúne tecnologias capazes de coletar e analisar dados. Por consequência, a técnica entrega informações valiosas ao agricultor, facilitando a tomada de decisões. 

A cabo desse movimento, os drones, bem como os veículos aéreos não tripulados (VANT), tornaram-se ferramentas fundamentais no agronegócio. Entre outras vantagens, os equipamentos reduzem a necessidade de mão de obra, ajudam na redução de gastos com insumos, economizam tempo e melhoram a produtividade como um todo. 

O panorama é especialmente importante no Brasil, tendo em vista que a agropecuária representa uma parcela significativa da economia. Soma-se a isso a popularização da Internet das Coisas (IoT) e do 5G, grandes aliados da agricultura inteligente e teremos um mercado em franca expansão nos próximos anos. 

As possibilidades para os drones agrícolas são inúmeras, e vão desde o mapeamento aéreo menos custoso, sobretudo em áreas de difícil acesso por terra, até a pulverização mais precisa de insumos e agentes defensivos. 

Os equipamentos também podem ajudar no manejo do gado, identificar se a plantação deve ser irrigada mais vezes, onde existem pragas, focos de incêndio, etc. 

Vale comentar que antes eram usadas imagens de satélites para áreas extensas. Essas, porém, deixavam a desejar na questão da precisão. 

Em contrapartida, um drone consegue fornecer as mesmas informações com muito mais nitidez e sem a defasagem temporal. 

Com isso, torna-se possível, por exemplo, identificar uma praga atacando a colheita naquele momento e, com dados precisos, decidir quanto de pesticida é necessário usar. Tal capacidade evita o desperdício de insumo ou uso aquém do necessário. 

Os drones preferidos no agronegócio são os de imagem, pulverização e análise topográfica do terreno. Os primeiros são os menos complexos, já os dois últimos, mais robustos, custosos e exigem um manuseio qualificado. 


Fonte: Vivo Meu Negócio

03 Jul 2022

Drone na Agricultura

Comentar
Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Copiar URL
Logo do Whatsapp